terça-feira, 30 de junho de 2009

Second Life x Twitter, comparando o incomparável

Cada vez que a "bolha" enche, é difícil resistir às previsões, comparações e outras adivinhações. O crescimento gigantesco do Twitter é, como era de se prever, acompanhado de opiniões especializadas sobre o presente, futuro e até seu passado (que ninguém sabe onde está, talvez nos blogs como este...).

Publicam-se números e gráficos de linhas oblíquas tentadoras, discorre-se sobre tecnologia, comunicação, sociologia, psicologia, economia, gestão, marketing, e fazem-se... comparações!
Como se a prática de comparar validasse o que fosse, sobretudo quando se tenta comparar o incomparável.

Desta vez a publicação de dois textos comparando Second Life com Twitter (!) em sentidos opostos chamou a minha atenção. Não tanto pelos títulos apelativos, mas sobretudo pelo enorme equívoco que constitui a coleção de argumentos que defendem duas aplicações de características e objetivos tão distintos.

Pela voz de Chris Abraham do Advertising Age surge a ideia de que "Twitter tem o que Second Life não tinha: é leve, é barato, é um sistema aberto (e por isso vai sobreviver ao hype)".

Em resposta, Wagner James no seu blog New World Notes argumenta: "Second Life é o que Twitter não é: original e único, 'pegajoso' e rentável".

Vale a pena ler os respectivos artigos e verificar que a argumentação de ambos faz sentido, desde que não utilizada para os comparar descaradamente.

É como comparar um sabonete com uma fatia de queijo, reconhecendo as diferentes qualidades de ambos, mas esquecendo que (em princípio) nem vamos comer o sabonete com goiabada, nem vamos lavar as costas com um pedaço de queijo!

Origem: Discursos D'Outro Mundo
("Blogue" do Professor Paulo Frias, Universidade do Porto)

5 comentários:

Tiamat disse...

o povo curte falar mais do SL. o twitter sempre foi um "bloguinho". não consigo escrever nele pq ja fui blogueira e não vejo sentidos em uns pares de linhas.... acompanho um ou outro mais para obter links interessantes do que expressar opiniões.
Nada a ver com o Second Life.

Alexandre S Mattos disse...

O Twitter é o canto do cisne da era da hegemonia escrita. Second Life, o prenúncio da nova era, o da hegemonia do audio-visual. Nada que Marshal Macluhan, Pierre Babin, Ivan Ilich e outros já não tenham previsto.

Poetry and Bullets disse...

Na verdade vejo as duas tecnologias como divergentes em tecnologia e tendencia, mais vejo que podem interargir de forma positiva e assim obtendo melhores resultados.


Guto

Alexandre S Mattos disse...

Discordo. Vejo as duas tecnologias como totalmente convergentes. Sabendo usar...

Alguns exemplos:
http://twitter.com/torley
http://twitter.com/machinima
http://twitter.com/SLurl
http://twitter.com/SecondLifeRadar
http://twitter.com/sl_twitters
http://twitter.com/SecondLife

Pra mim, o Twitter está para o Second Life assim como o DOS esteve para o Windows, o telégrafo para o telefone, o roteiro e/ou o livro para o filme. Ou seja, existem sim, claro, diferenças entre as duas tecnologias, mas apenas de gradação: No Twitter, o texto (mesmo que mínimo) é o que manda (nem que seja pra linkar pro áudio-visual). No Second Life, é o audio-visual (nem que seja como extensão do texto/programação/roteiro, etc). Quem souber integrar as duas linguagens pra expandir suas idéias, levar a cabo seus projetos, deve se dar bem

Alexandre S Mattos disse...

Discordo. Vejo as duas tecnologias como totalmente convergentes. Sabendo usar...

Pra mim, o Twitter está para o Second Life assim como o DOS esteve para o Windows, o telégrafo para o telefone, o roteiro e/ou o livro para o filme. Ou seja, existem sim, claro, diferenças entre as duas tecnologias, mas apenas de gradação: No Twitter, o texto (mesmo que mínimo) é o que manda (nem que seja pra linkar pro áudio-visual). No Second Life, é o audio-visual (nem que seja como extensão do texto/programação/roteiro, etc). Quem souber integrar as duas linguagens pra expandir suas idéias, levar a cabo seus projetos, deve se dar bem