quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Crise das OpenSpaces: CEO da Linden dá um ponto final a discussão e lança novo produto intermediário

M Linden (C.E.O. da Linden Lab) se pronunciou, aparentemente de forma definitiva, sobre a crise das OpenSpaces e como solução intermediária traz um novo produto chamado "Homestead".

Após o pronunciamento do dia 27 de outubro passado, quando Jack Linden confirmou um possível aumento de 66% nos preços praticados para compra e manutenção nas regiões OpenSpaces (aquelas de 3750 prims), muitos protestos aconteceram in world e no mundo real, em blogs, em perfis de avatares e residentes em sites de relacionamento e principalmente no Blog Oficial da Linden Lab e no Fórum Oficial.

Mickael Linden (M Linden) disse na postagem feita agora a pouco, que tudo aconteceu porque as regiões que deveriam ficar vazias ou com poucas construções apenas para servir como complemento de mar ou florestas, foram utilizadas pelos residentes como parte de "impérios imobiliários", ou ainda, lojas muito movimentadas.


M Linden culpa os lojistas e barões de terrenos (Land Barons) por causa do lag nas OpenSpaces, pois de acordo com ele, enquanto os servidores no mundo real estavam preparados apenas para processar regiões vazias ou com poucas coisas, receberam muitos objetos, scripts e avatares simultaneamente, gerando lentidão no sistema (lag) e prejudicando indiretamente quem utilizou as OpenSpaces da forma correta.

Realmente consideramos estas declarações mentirosas e parte de uma estratégia para "enrolar" os residentes no Second Life. Todos se lembram que no final do ano passado, foram lançadas opções oficiais da Linden Lab ofertando a conversão de uma região Full (15.000 prims) em 4 regiões OpenSpace (3.750 prims). Para isso o dono final da região, conhecido como governador ou "land baron", que é quem responde pela manutenção junto a Linden, deveria pagar uma taxa de US$100,00.

Como resultado disso, cerca de 40% das regiões foram convertidas em OpenSpaces e utilizadas como na forma antiga, para abrigar em um espaço maior (65 mil m2) o equivalente a 1/4 de uma ilha convencional. Milhares de pessoas migraram para este sistema, aproveitando-se das condições que eram similares às ilhas anteriores, bem como mantendo o custo anterior de tier fee (taxa de manutenção, condomínio, aluguel, etc), pago regularmente ao governo da ilha.

O fato que mais nos intriga é que, inesperadamente, a Linden sobe os preços em 66%, tornando totalmente inviável a manutenção dos preços anteriores, que são repassados aos clientes finais pelos governadores de regiões privadas (Barões) e, ainda por cima, joga a culpa nestas pessoas, mesmo tendo motivado o mercado a converter seus terrenos para as OpenSpaces.

Após milhares de críticas, dias de protestos e movimentos organizados no Metaverso, interna e externamente, M Linden dá sua resposta e traz o que parece ser a resposta definitiva para a questão. E isso não agradou nada aos residentes.

A solução foi criar uma condição intermediária de terreno, chamada Homestead, que terá condições semelhantes às atuais OpenSpaces, porém custo mais caro e limitação de prims e de processamento de scripts.

Ou seja, a política de produtos ficará assim:

- Região normal (Full Region):

. mantém preços atuais - US$1,000 compra + US$295 taxa mensal
. permite até 100 pessoas na região
. não tem limites para scripts
. permite construir 15.000 prims

- Região OpenSpace (apenas para seu destino alegado pela Linden Lab: deve ser utilizada como mar ou floresta, sem residencias ou lojas):

. taxa mensal de US$75
. apenas 750 prims disponíveis
. limite de 10 pessoas na região
. não permite eventos e classificados
. terá limites para scripts
. proibido habitar esta região
. Os interessados precisam falar com a equipe de atendimento, para manter estas regiões com a configuração original e neste padrão de preços.

- Região Homestead (OpenSpace adaptada, terá limitação de acesso de avatares, scripts, prims e pode ser utilizada como casa ou construções similares):

. de 05 de janeiro a 05 de junho de 2009: taxa mensal US$95
. após 05 de junho de 2009: taxa mensal US$125
. 3750 prims disponíveis
. limite de 20 pessoas na região
. permite eventos e classificados
. permite lojas e habitações
. terá limites para scripts

A Linden Lab pede que maiores informações sejam lidas no Knowledge Base, em inglês.

Nossa opinião é de que a Linden Lab pode realmente fazer o que bem entender, pois o mundo Second Life é dela. Mas foi, no mínimo, falta de planejamento e um desrespeito enorme com os milhões de residentes, o modo como lidou com esta situação. Nunca deveria ter ofertado uma solução de produto sem fazer um teste de impacto mercadológico. A impressão que ficamos é que houve uma falha na estratégia da empresa, ao permitir a criação indiscriminada de OpenSpaces, o que afetou sensivelmente o mercado de terrenos nas regiões administradas pela própria empresa (Mainlands Linden, continentes da Linden Lab).

A solução deveria vir de outra forma, como o cancelamento da comercialização das OpenSpaces e a manutenção dos produtos antigos, que já estavam disponíveis e em mãos dos seus governadores de regiões. A partir daí, deveria a Linden comercializar apenas suas novas Homesteads, sem influenciar o que já havia entregue aos clientes. O que aconteceu foi uma modificação grotesca num produto adquirido pelos seus clientes: ele passará a ser outro produto com limitações impostas e o preço absurdamente aumentado.

O melhor a ser feito pelos residentes que possuem ilhas OpenSpace é, se houver 4 regiões no mínimo, converter novamente estas regiões em uma região Full sem precisar renegociar os preços com os clientes que já mantém. Precisará apenas negociar a modificação no espaço físico atribuído para cada sub-locatário, que será reduzido em cerca de 4 vezes.

As lojas devem prever vendas que cubram os custos e dêem margem de lucro para manter suas operações. Porém, fica a dúvida se vale a pena mesmo manter as lojas mesmo com as limitações técnicas que serão impostas - 20 pessoas simultâneas, será que vale a pena ter lojas assim? O custo mínimo de manutenção do terreno será de, aproximadamente L$34.000 ao mês, a partir de junho de 2009. Será que as limitações impostas pela Linden Lab permitirão manter lojas na configuração atual? Vamos esperar e ver o que acontecerá em breve.

Origem: http://www.mundolinden.com/

Publicidade:

2 comentários:

Kundera disse...

Bom resumo... minha mente estava meio confusa, um misto de frustração, tristeza e desesperança... não tenho nada no SL, e há umas duas semanas entreguei minha meia Openspace alugada, já por causa dos aumentos do dólar... e agora vem essa porrada na cabeça acabando totalmente com minha esperança de voltar em breve a alugar uma terrinha... Sem Openspace, sem espaço físico, sem visão pro mar, provável aumento de aluguéis, etc... Acho que catástrofes estão à vista... Quem sabe uma crise muito forte no mundo SL, um dia façam as coisas melhorarem... Boa sorte à todos !

Magg disse...

Acho que foi um erro da Linden alterar os preços. Deveriam ter limitado os recursos das ilhas OS antes, ou quando começaram os abusos. Isso evitaria essa discussão e também tanta reclamação de lag no SL.

A maioria dos usuarios comuns hoje utiliza OS para fazer shoppings, festas ou morar, pois é mais barato e dá mais lucro pra todos. Só que graças a isso, a percepção que eles tem do Second Life é que está tudo lento e com problema. O que eles não sabem é que estão usando as terras de forma errada (em geral não sabem mesmo, pois só alugam estas OS). Regras escritas não servem pra nada se a Linden não consegue fiscalizar e se os owners não estão nem aí pro uso de seus inquilinos.

Quanto a sua pergunta sobre manter lojas numa "homestead": como o próprio nome já diz, é um lugar destinado a residência. Homestead é a designação de uma típica casa de fazenda ou sítio no interior, onde mora a família que vive do cultivo daquele pedaço de terra. Não é um lugar para comércio ou lojas e sim para uma vidinha tranquila de interior.