segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Códigos dos servidores são descobertos dando início aos grids SL não-oficiais

O projeto OpenSimulator permite que qualquer pessoa acesse e construa grids open-source alternativos aos da Linden Lab, através do mesmo navegador 3D oficial do Second Life. Já é possível hospedar em casa sua própria ilha e criar seu próprio grid, fora dos domínios da Linden.

"Grid" ou "grade", é um jargão da tecnologia que representa múltiplos núcleos de computação, trabalhando em conjunto, interligados pelos "nodes" (nós). Também conhecido como "cloud computing" e "utility" computing (mais informações no Wikipedia).

Há vários meses surgiram rumores de que a Linden Lab "em breve" estaria disponibilizando aos seus residentes investidores a possibilidade de hospedarem localmente suas ilhas (sims) em servidores particulares locais. Por algum tempo a boataria ganhou força, inclusive com o aval de nomões da companhia, como o vice-CEO Joe Miller, que em entrevista confirmou que seria necessário descentralizar a operacionalidade do grid do SL. Mas depois, como que por conspiração, o assunto simplesmente arrefeceu. No que antes havia uma estimativa de lançamento do novo serviço, agora nem se fala mais no assunto, pelo menos oficialmente.

Porém, a partir de Julho de 2007, um grupo de programadores e especialistas em computação multi-cluster (grid), descobriram a natureza do funcionamento dos servidores do Second Life, conseguindo assim compilar a primeira versão em código aberto de um controlador de simulação (sim, ou ilha, como queiram). Naquele momento surgiu o Projeto OpenSimulator que, dentre outras coisas, permite uma "experiência Second Life" fora dos domínios da Linden Lab.

O "OpenSim" é uma plataforma aplicativa de código aberto, com licenciamento BSD, que permite a qualquer um criar e utilizar ambientes de interação virtual 3D, como mundos virtuais, sem pagamento de royalties e com total liberdade autoral. Na prática, o OpenSim é um servidor Second Life "livre", que pode ser acessado localmente, através de um "standalone" software, ou através de grid próprio ou de terceiros. Este servidor não-oficial foi reescrito em linguagem C#, podendo ser compilado através dos motores Mono (Mac OS X e Linux) ou Microsoft .NET. Uma de suas inúmeras vantagens é a sua natureza "open-source", que permite a qualquer programador estender as capacidades do seu simulador, por conta própria, adicionando correções, plugins e módulos adicionais à plataforma já existente, como se fosse um técnico da Linden Lab.

Acessando grids existentes

Atualmente, existem quatro grids principais OpenSim. Entre o OsGrid, o DeepGrid e o CentralGrid, o mais conhecido hoje é sem dúvida o OpenLife Grid, extremamente organizado e que acaba de reformular seu website. Como no portal da Linden, no OpenLife o interessado conta com farta documentação para aprender a ingressar neste novo universo. Não é preciso baixar um navegador em especial. O próprio navegador Second Life oficial da Linden pode ser utilizado para acessar estes grids alternativos.

Ao lado, "mapa-mundi" do OpenLife Grid.

Mas antes é necessário escolher qual grid não-oficial deseja acessar, ir em seu site e realizar um cadastro próprio (nome, sobrenome e senha), pois o login e senha do Second Life oficial não funcionarão, visto que seus bancos de dados são independentes. Ao contrário da Linden, no OpenLife é possível cadastrar nome e sobrenome. Ou seja, seu avatar poderá ter seu mesmo nome da vida real. Feito este cadastro, o site fornecerá instruções para configurar seu navegador SL a acessar o OpenLife Grid. Estas instruções valem também para se obter acesso a outros grids, fora da Linden Lab, o que inclue sua ilha ou grid local.

Sua ilha, na sua casa

Uma das coisas emocionantes, do conceito criado pelo OpenSim Project, é a possibilidade de ter sua própria ilha (simulador) rodando em seu micro ou notebook. Não precisa ser um equipamento de grande capacidade, a não ser que se deseje rodar mais de uma ilha ao mesmo tempo, o que também é possível através de algumas configurações não muito complexas.

Ao lado, o servidor "standalone" produzido pelo OpenSim e distribuído pelo OpenLife Grid. O mesmo tem apenas 26 megas e roda, sem instalação, até mesmo em um "pen drive". Na foto abaixo, a ilha acessada localmente pelo navegador oficial do Second Life.

Pelo site da OpenLife, o interessado efetua o download do "Standalone Simulator" (ready-to-run), já na versão 0.5, com apenas 26 megas de tamanho. Para rodar, basta descompactar o arquivo através do WinRAR, seguindo estas instruções e configuração. Uma vez ajustado, conforme as recomendações do OpenSIM, o usuário "inicializa" sua ilha, podendo acessá-la com seu navegador SL já instalado. Através de outros ajustes, caso o IP da máquina do usuário seja "real" (não-roteada), será possível que seus amigos também acessem sua ilha, através de um cadastro prévio feito pelo dono do servidor, sem intermediação e sem custos.

Download alternativo em ZIP: clique aqui.

Quem, contudo, já estiver bem familiarizado com a nova plataforma, poderá rodá-la em modo grid. Ou seja, será possível "unir" sua ilha a outras ilhas dos amigos, ou grids não-oficiais já existentes. Unificar "duas" ilhas, através das instruções do OpenSim, por si só formaliza um grid. No caso do OpenLife, através de custos fixos mensais muito modestos se comparados aos da Linden Lab, será possível colocar sua ilha no grid já existente deles, que conta hoje com 135 sims agrupadas (totalizando, até o momento, 8.8 milhões de m2) e 8.4 mil avatares cadastrados. Mesmo assim, um grupo de amigos poderá efetivar seu grid particular e iniciar sua propagação.

Estágio "Alfa"

Apesar de descoberto o código do servidor do Second Life, o mesmo não está totalmente em sincronia com os avanços do similar original. O projeto OpenSim mantém uma página com relatórios dos avanços técnicos obtidos junto às compatibilidades com os servidores da Linden. Mesmo assim, observa-se que a grande maioria dos recursos está presente e operando com normalidade. Como o OpenSim está apenas em sua fase inicial, é óbvio que ainda "muita água correrá debaixo da ponte". Neste momento, dezenas de programadores entusiastas estão trabalhando no aperfeiçoamento do servidor "standalone" (que também pode ser configurado como um servidor remoto ou em grid), afim de que em breve lancem uma nova versão, com novas funcionalidades e compatibilidades presentes, dentre elas o "voice server" e o "voice client". O OpenSim já é compatível, por exemplo, com o "Windlight", se acessado pelo navegador SL correspondente.

Linden sabe e participa extra-oficialmente

Obviamente a Linden Lab está a par da existência dos grids não-oficiais. Mas é curioso constatar que a companhia, até onde se sabe, permanece indiferente à questão. Não se tem notícias de futuras ações retaliativas. Até porque, mesmo detentora da patente do código dos servidores, ela sabe que será inviável acionar juridicamente estas iniciativas. Quer dizer, se ela mandar fechar o OpenLife Grid (Os, Deep, Central, dentre outros), provocará o surgimento de novos grids alternativos, exponencialmente.

À direita, atalho do navegador oficial Second Life ajustado para acessar servidor/grid local (ou externo).

Entre os boatos e rumores, diz a lenda que integrantes do departamento de TI da Linden estão, extra-oficialmente, participando das sessões públicas de teste promovidas pelo OpenSim. Outro rumor atesta que Cory Ondrejka, ex-CTO da Linden, foi responsabilizado pelo "vazamento" do código dos servidores e, por isso, pediu demissão da empresa. Um novo boato surgiu na semana passada, atestando que a Linden já pensa em "oficializar" a liberação dos servidores e passar a vender "adesões" de ilhas particulares externas ao seu grid oficial. Curiosamente este método comercial, que seria adotado caso a companhia abrisse seu código-fonte de serviço, foi antecipado e implantado pela OpenLife. Por exemplo, se você quiser integrar sua ilha ao grid do OpenLife, pagará apenas US$ 55 dólares ao mês, contra os US$ 368 cobrados pela Linden para alugar uma ilha em seus servidores, fora os quase US$ 2 mil para compra da mesma (na prática não se compra nada na Linden, apenas "adere-se").

É ainda muito cedo avaliar o impacto desta nova realidade no Second Life oficial. Porém observamos que cresce cada vez mais o interesse no assunto, principalmente por parte daqueles fanáticos por tecnologia e interessados em ter seu próprio mundo virtual. As possibilidades didáticas, institucionais e comerciais que se apresentam são simplesmente fantásticas. É como se a comunidade "linuxista" tivesse quebrado o código fonte do sistema operacional Windows.

Nós, da equipe Mundo Linden, já experimentamos e confessamos nosso entusiasmo pelo conceito. Sempre que pudermos, manteremos a comunidade informada sobre os avanços do Projeto OpenSimulator. Independentemente do Second Life oficial, este veículo desde já se propõe a também divulgar no Brasil esta nova plataforma que poderá, em breve, obrigar a todos reverem seus conceitos sobre metaversos e sobre o Second Life, como o conhecemos.

O Mundo Linden criou, inclusive, um fórum oficial de discussão sobre OpenSim no Orkut. Participe!

www.orkut.com/Community.aspx?cmm=44839152

Download do servidor em ZIP: clique aqui.
O que funciona e o que ainda não funciona no OpenSim: clique aqui.

Para iniciar no Projeto OpenSim, clique aqui.

Veja uma galeria de fotos de ilhas OpenSim já existentes: clique aqui.
Outra galeria de fotos do OpenSim: clique aqui.
OpenSim no Flickr: clique aqui.
Vídeos do OpenSim no YouTube: clique aqui.
Vídeos do OpenSim com Windlight: clique aqui.


Links relacionados e importantes:

opensimulator.org

openlifegrid.com

centralgrid.com

osgrid.org

deepgrid.com

Um vídeo interessante sobre o OpenSim:



Publicidade:

Um comentário:

PD disse...

Ja era previsto

Contudo a aparente calma da linden é engano

1° Isso tudo era planejado , alguem ja se perguntou porque a Kaizen precisava da IG ja que a Kaizen sozinha tinha condiçoes de criar sozinha um site simples e vender lindens ?

2° Esses Servidores so vão servir para jogar , se divertir , ou praticar

3° Sera que existe alguem burro o bastante para comprar lindens para usar em algum OPEMSIM e depois eles falirem como os bancos ?

4° A linden esta em xeque agora , se ela liberar esse sistema de vce hospedar sua ilha , ninguem mais vai querer pagar ela e varios vao desistir de suas ilhas para hospeda r por conta

Porem mesmo assim ela vai implantar esse sistema so que com preço proximo ao aluguel de ilha

Assim ela nao vai perder ilhas , muito pelo contrario muita gente que nao tem os aprox 2.000 reais para comprar a ilha mas tem condiçoes de pagar a tier e hospedar em casa vai fazer isso , os ganhos da linden vao ser absurdos e ela vai ter um boom interessante

Mas um alerta , nao acreditem em Open se pensam em ganhar dinheiro , eles nao tem compromisso e de uma hora para a outra saem de circulaçao como os bancos , muita gente vai querer se aproveitar , nao caiam nessa , open é so algo sem compromisso e sem MOEDA , aguardem a linden colocar o a opçao dela