domingo, 8 de junho de 2008

Second Life e OPENSIM finalmente ligados

Após meses de desenvolvimento, a comunidade que aposta no Opem Simulator tem muito a comemorar. Houve o primeiro teletransporte do Grid Oficial para um Grid Open.

Um passo realmente importante, pois, mesmo com muita polêmica e pessoas que não desejam que o projeto aconteça, os desenvolvedores da comunidade open source conseguiram realizar um grande avanço. E mais, com o apoio de funcionários da Linden Lab, contrariando assim quem é contra a iniciativa de manter servidores particulares que funcionem a parte da Linden Lab.


Ontem Zha Ewry e dois funcionários da Linden teletransportaram-se de uma localidade do grid oficial (gerenciado pela Linden Lab) para um grid particular externo! Apenas o avatar em formato primitivo conseguiu transportar-se, o inventário e o sistema de finanças não ultrapassa a barreira entre os mundos. Isso se deve a configurações ainda em desenvolvimento no OPENSIM.

No Brasil, está em desenvolvimento o LifeSim (Central Grid Brasil), que em breve será lançado pela Studio Grafics. Os responsáveis pelo sistema garantem que já estão estáveis e ativas mais de 20 ilhas, agora trabalham na instalação e no desenvolvimento de pacotes relativos ao inventário e outras funcionalidades, em conjunto com seus parceiros norte-americanos Central Grid. "O primeiro grid aberto para brasileiros será lançado antes de julho", afirma Rubiano Oliveira C.E.O. da Studio Grafics.

Origem: MundoLinden.com

Publicidade:

2 comentários:

Fabio disse...

OpenSim estável? Falta muito chão ainda... O projeto é relmente promissor mas com mais de uma ano ainda está em fase alpha. Ainda muito sujeito a quebra de funcionalidades e muitas das funções LSL (script de linguagem do SL) não funcionam ou sequer serão implantadas.
Para ter uma ideia melhor navegue no forum do OpenLifeGrid, que atualmente é um dos maiores grids baseado no projeto.

Ana Cláudia disse...

Como uma participante dos testes do Projeto Open Simulator, creio que é preciso deixar claro que o atualmente o projeto deve ser visto como uma plataforma de testes.
Apesar dos avanços do projeto no último ano, ainda existe muito trabalho a fazer em relação a estabilidade, compatibilidade, escalabilidade e segurança.
Vejo com sérias restrições os Grids que tem surgido com intuito de explorá-lo comercialmente na fase atual pois ainda há instabilidade em algumas funcionalidades básicas e a segurança ainda é extremamente fraca e, por não ser o foco atual, possui diversas brechas de código e falhas na arquitertura ainda não corrigidas.